Cobertura Volday III – 1

2 comentários

  1. Eu gosto muito das vídeo aulas deste vídeo blog, mas essas palestras do pessoal de software livre falando besteiras a respeito dos softwares proprietários e de empresas como Microsoft e Apple são de matar! Quanta besteira!
    Ninguém é escravo de ninguém, é apenas o exercício da liberdade de escolha. TODOS nós somos livres para escolher o equipamento e o software que responde melhor às suas necessidades. Sejam esses softwares livres, gratuitos ou proprietários e pagos.
    Outra coisa: Linux trava para caramba e ninguém fala. Vírus para Linux existem sim, e não são tão poucos como gostam de falar. E o desempenho vem decaindo a cada nova versão das distribuições.
    Não sou contra o Linux. já o utilizei e utilizo em diversas situações, gosto de ler a respeito dele, mas não sou bitolado achando que ele é a panacéia universal para os problemas tecnológicos da humanidade.
    Ele é apenas mais uma opção, muito boa por sinal, para soluções específicas, assim como o Windows e os dispositivos e softwares da Apple.
    Sei que muitas das coisas que são faladas são brincadeiras, mas muitas também são encaradas como verdadeiros dogmas.
    Como acredito que o intuito principal deste vídeo blog é transmitir conhecimento de forma séria e bem intencionada, acho que seria interessante destacar a utilidade e importância do software proprietário no mundo moderno, assim como sua contribuição para o desenvolvimento tecnológico, e o principal na atualidade: os ambientes mistos, onde são utilizadas soluções livres trabalhando ao lado de soluções proprietárias.
    Não imagino um mundo com apenas software proprietário, assim como também não o imagino apenas com software livre. Ao contrário vejo que o futuro será marcado pela parceria entre essas duas modalidades de desenvolvimento, onde o ganho financeiro será aliado à disseminação do conhecimento entre todos. Sei que parece um paradoxo, mas muitos paradoxos do passado já se tornaram realidade. Por que esse também não poderia?

    Abraço!

    Sandro, 3 anos ago Reply

    • Olá Sandro, que bom que gosta das vídeo-aulas, obrigado.

      Não costumo discutir esses temas sem ser presencialmente, mas como você foi bastante educado e teve o trabalho de escrever um comentário grande, vou esclarecer/responder aos seus questionamentos e posições, como as minhas opiniões pessoas sobre os temas.

      Para ficar claro vou dividir em tópicos:

      – O que eu falo sobre empresas como Microsoft e Apple.
      Essas empresas tem um modelo de negócio de dependência de seus clientes, criam “soluções” visando o aprisionamento de seus usuários. Alguns exemplos simples são os formatos de documentos que usam, os contratos de licença, que você deveria conhecer muito bem e principalmente as portas traseiras que possuem seus softwares.

      – Alguém é escravo de alguém?
      Quando falo em minhas palestras sobre escravidão digo sobre os desenvolvedores de software não livre que como os escravos, trabalhavam a terra e não podiam usufruir de seu resultado. Os contratos de “não Revelar” são muito claros!

      – Linux trava?
      Qualquer kernel ou sistema operacional é suscetível a falhas, porém é MUITO raro isso acontecer em um sistema GNU/Linux, desde que bem administrado. Boa parte de travamentos são problemas de hardware ou mesmo não são travamentos do sistema, mas de alguma aplicação e muita vezes os usuários leigos não sabem como resolver e habituados aos constantes travamentos do windows chamam esses de travamentos.

      – Vírus para Linux?
      Existem “malwares” para TODOS os sistemas operacionais existentes, muito provavelmente, mas a estrutura modular e MUITO mais segura do sistema GNU/Linux, tornam impraticável sua disseminação em escala.

      – Linux como panaceia universal para os problemas tecnológicos da humanidade.
      Não sei se será universal para toda a humanidade, mas os sistemas baseados em softwares livres estão a cada dia mais presentes nos nosso dia-a-dia, presentes em cada vez mais dispositivos, com celulares, roteadores, TVs e vem ainda muito mais. Apenas porque são economicamente mais viáveis para as empresas.

      – o intuito principal deste vídeo blog
      A minha intenção é passar algum conhecimento e em minhas palestras as minhas opiniões pessoais e os argumentos que para mim sustentam minhas convicções.

      – Paradoxo do ganho financeiro.
      Softwares livres não visam filantropia e não são antagônicos a ganhos financeiros, apenas seguem um modelo diferente.

      Para terminar, liberdade de escolha não representa necessariamente LIBERDADE. Uma escolha de verdade deve passar por conhecer as implicações delas para si mesmo e para os demais. Sugiro que leia o artigo do Sergio Amadeu sobre a política de privacidade que quem usa Windows aceitou.

      []’s
      kretcheu

      kretcheu, 3 anos ago Reply


Deixe seu comentário